Intelligentia

Revista eletrônica do Centro de Estudos  em Geopolítica e Relações Internacionais (CEGRI)

Ano III

Volume II

Nº 6

Janeiro/Junho de 2007

Rio de Janeiro

ISSN 1807-1260

 

 

Editorial

 

   

Este número da revista Intellector que chega às mãos dos leitores talvez seja o que siga mais ao cerne da proposta da publicação. Trata da geopolítica enfocando seus atores principais: os Estados-Nação.

Em A Nova Alemanha: Acertos e Erros, a professora Heike Pintor Pirzkall, da Universidade Européia de Madri (UEM), aborda os principais problemas resultantes da reunificação entre Alemanha Oriental e Alemanha Ocidental, ocorrida após a queda do Muro de Berlim. Além de fazer alusão aos diversos tratados que “refundaram” a Alemanha atual, indaga sobre a fatura ainda não paga dos problemas econômicos do país, que englobam desde assimetrias regionais a questões focalizadas de desemprego.

            O segundo artigo, de autoria de Armando Vidigal, versa sobre a temática do papel beligerante dos Estados Unidos a partir dos anos 90, principalmente nos governos Bush. Algumas tendências da política externa dos Estados Unidos após o fim da Guerra Fria inicia a análise a partir da Guerra do Golfo e desemboca numa comparação arguta e minuciosa entre os grupos políticos que influenciam a conduta externa norte-americana.

Em Salvador Allende e o Mito da Estabilidade Chilena, a historiadora Ana Cristina Augusto de Sousa parte do cenário da morte do ex-ditador Augusto Pinochet para relembrar o governo, deposto por este, de Salvador Allende, que, amparado pelo progresso econômico da nação chilena, esperava outra postura que não o golpe de estado promovido pelos militares.

O professor de Relações Internacionais da UFPR Bruno Quadros e Quadros discute, no seu Os Estados fracassados como fator de instabilidade internacional, sobre aqueles países onde o fracasso do Estado na manutenção social, ou, a crise de sua legitimidade, faz com que se crie um vazio de poder, vácuo este geralmente apropriado por organizações criminosas.

            Por fim, a pesquisadora de Relações Internacionais Natália Regina Maciel põe em curso uma analogia entre a estabilidade política na Venezuela e o desenvolvimento econômico do país, demonstrando como, em períodos de pujança financeira, fica mais fácil garantir respaldo da população para a manutenção do poder político.

            A apresentação de tantos estudos sob a ótica do Estado Nacional remonta, mais uma vez, à superação das idéias falidas de fim do Estado. Vivo, ele alimenta o olhar dos pesquisadores da Geopolítica internacional.

       Boa leitura.

Os Editores

   

   

 

 

 

A Nova Alemanha: Acertos e Erros  

Heike Pintor Pirzkall

Resumo/Abstract

 

 

Algumas Tendências da Política Externa dos EUA após o Fim da Guerra Fria  

Armando Vidigal

Resumo/Abstract

 

Os Estados fracassados como fator de instabilidade internacional:

uma visão brasileira

Bruno Quadros e Quadros

Resumo/Abstract

 

 

Salvador Allende e o Mito da Estabilidade Chilena

Ana Cristina Augusto de Souza

Resumo/Abstract

Reforma Política e Política Externa na Venezuela:

uma ameaça à Segurança Continental sob a ótica Norte-Americana

Natalia Regina Maciel

Resumo/Abstract

 

 

 

Copyright by CENEGRI-Intellector, 2004-2007. Todos os direitos reservados.